30 março 2016

Trips # Praga - Klementinum

Klementinum não é das principais atrações em Praga. Contudo, neste edifício temos uma das mais bonitas bibliotecas do mundo. Uma biblioteca de estilo barroco com livros a partir do século XVII até ao presente. O seu tecto decorado com frescos de cortar a respiração, permanece inalterado desde o século XVIII.

Biblioteca nacional - Klementinum, Prague (Fonte)

Fundado em 1232, é o maior complexo de edifícios históricos da Cidade Velha. Abrange uma área de mais de dois hectares perto do rio Vltava, perto da Ponte Carlos. Muitos grandes astrónomos e cientistas europeus estudaram aqui, como é o caso de Kepler ou Galileu. 


Algumas das descobertas mais conhecidas da história, foram feitas na torre astronómica, onde temos uma vista de 360º soberba para a capital checa. A torre tem 172 degraus e podem-se encontrar alguns objectos astronómicos de medição. 


O que a maioria dos turistas não sabe é:

1º - Visitam Praga, mas nem reparam neste edifício e quando reparam, é graças às suas igrejas voltadas para a Ponte Carlos;

2º - Há visitas guiadas à biblioteca e à torre de hora a hora, entre as 10h00 e as 16h30, por 220 czk (estudantes pagam menos).

3º - Têm estas vistas (melhores que as da torre da câmara, na minha opinião):

Vista da torre astronómica

28 março 2016

Trips # Cervejas em Barcelona

O movimento de cervejas artesanais já chegou tarde a Portugal, quando comparámos com outros países. Em Barcelona, já está na fase de estabilização. Já apareceram muitas cervejeiras novas e muitas já desapareceram.

Se gostam de cerveja e se gostam de experimentar vários locais, ficam aqui umas 3 dicas do que visitar em Barcelona (há muitas mais, que ficaram para uma próxima viagem):

Primeiro local visitado, primeira cerveja por terras espanholas. Foi com algum agrado que encontrámos estes pequeno local próximo da Sagrada Família, num dia em que percorremos cerca de 30 km a pé. Além de uma vasta seleção de cervejas 'on tap' tinha várias cervejas para comprar e levar, enquanto outras estavam já no frio à espera de um beergeek. 

Escolhi uma American Pale Ale da cervesa La Pirata. Confesso que foi uma agradável surpresa, sendo que o rótulo foi dos meus favoritos até hoje. Muito bem conseguida esta cerveja com 62 IBU. 



É possível fazer uma refeição no Abirradero, mas as cercas de 40 cervejas é que chamam pelos amantes da cerveja. Não fosse este local ter inúmeras cervejas do instituto da cerveza artezana, local muito concorrido até pelos cervejeiros portugueses. 

Aqui já me decidi por uma Imperial India Pale Ale com 70 IBU e 8% ABV - IPAral.lel - uma escolha quase sempre segura, com aroma citrino, não teve que enganar. Por vezes, arrisco pouco e vou para o óbvio (a Brewdog tem culpa no cartório hoje em dia, pois veio implementar o gosto das IPAs).



Falando neles, se há um estabelecimento só deles, temos de experimentar não é? O local é muito concorrido (também era fim-de-semana), mas gostava de ter a variedade que eles têm lá disponível e aos preços que eles têm. Ainda é possível fazer uma prova de 5 cervejas a um preço impensável cá...

Claro que a opção da prova foi logo posta em cima da mesa. Tudo que tinham, podíamos escolher, desde que houvesse, que era o único se não.

Então as opções recaíram em 5 cervejas
- Hardcore IPA (dipensa apresentações, para mim é das melhores)
- Arcade nation - uma agradável surpresa
- Dead pony club - adorei a dead pony, muito boa!
- Five AM Saint - uma red ale que a meu ver está boa e que não esperava deles
- Jack Hammer - bem conseguida, ao estilo da Brewdog.



Por fim, ainda experimentámos no Federal café uma Gòtic ale da Barcino Brewers. Mais uma American Pale Ale, mas desta vez não fiquei surpreendida, penso que faltava algo à cerveja, mas isto tem a ver com os gostos de cada um!



Agora é continuar a testar as portuguesas e algumas estrangeiras por cá... e marcar a próxima visíta a Barcelona!

Trip & Food # Healthy Barcelona

Este post é para todas aquelas pessoas, que tal como eu, antes de ir a cidades novas ou durante as suas escapadinhas, querem descobrir locais mais saudáveis para comer e para aproveitar as cidades, de acordo com o seu estilo de vida.
Comer bem, para mim, é comer saudável. É como me sinto melhor. Fico mais energia, sem problemas de consciência e feliz. Sim, feliz. Comer saudável não implica passar fome (apesar de haver dias que “comia mais qualquer coisa” e aí ataco o chocolate negro ou bebo mesmo uma cerveja) e a vida não é uma constante descoberta.

Na minha última escapadinha a Barcelona, aproveitei para encontrar locais novos, saudáveis e que permitissem tanto a mim como ao meu namorado (mais guloso) desfrutar de boas refeições, sem ser necessário descuidar (de todo) da dieta. Claro que aproveito sempre para comer algo não tão saudável, até porque adoro descobrir novos espaços. Aliás, mesmo no Porto é o que faço – experimento o menos saudável e, por outro lado, tento equilibrar as refeições. Afinal de contas, tudo depende de nós e como queremos comer.
Barcelona deve ser das cidades com mais opções, para tudo. É incrível como cada vez que lá vou encontro novas coisas (deve ser a cidade onde mais me sinto confortável a seguir ao Porto…). Num fim-de-semana normal, lá fomos nós passear, como quem vai passear a Braga ou a Guimarães. Voos baratos sempre foram a minha perdição e permitem-me conhecer cada vez melhor a Europa. Mas vamos ao que interessa... Ao nosso roteiro gastronómico.

Primeiro dia:

Pequeno-almoço: Federal café (perto da Par.a.llel)

O Federal dispensa apresentações. Neste momento, é uma das cadeias mais conhecidas que há por Madrid e Barcelona e ficava pertinho do nosso hotel. Aqui, a decoração é simples, agradável e confortável. O cheiro pela manhã indica que há pessoas que vão para os bolos do dia ou para comidas mais consistentes como os ovos. Como vi que tinham iogurte com fruta e granola a um preço simpático, não resisti, pois é das minhas opções favoritas para comer fora de casa. A combinação era saborosa, mas pequena infelizmente. Se quiserem experimentar aconselho a comerem mais qualquer coisa ou beber algo que aconchegue o estômago. Visto que ia caminha muito, resolvi comer algo mais depois pelo caminho e como sou louca por cappuccino resolvi experimentar (mais que aprovado). Para os mais gulosos aconselho sem dúvida os bolos tinham bom aspecto e dava vontade de devorar tudo (não fiquem perto da montra, conselho de amiga).




Almoço/Brunch: Elsa y Fred

Perto do arco do triunfo, fica o gastropub Elsa y Fred com uma decoração fofinha e ao mesmo tempo quase caseira (parecia uma sala de estar). Aqui apostamos na salada, nos ovos bennedit florentine e, claro, numas croquetas de jamón ibérico (tem de se experimentar, senão não é férias). Sinceramente ficava pelas duas primeiras, visto que até não liguei muito às croquetas, mas… foi uma vez! Sem dúvida alguma, ler o menu e perceber o que era mais amistoso à linha, ajudou também a que gostasse da comida, juntamente com a qualidade dos ingredientes. Para completar a mini desgraça: uma grande desgraça – Cheesecake de frutos vermelhos (fez-me lembrar o que comi em Nova Iorque, doce e com sabor forte a queijo… só passava a parte do muito doce). Por fim, o expresso seguro e bom, coisa que por Barcelona é fácil de ter, tornando-a a cidade espanhola mais segura neste campo.




Lanche (Merienda): Flax and Kale

Nós andávamos pela praia e queríamos ir ao Surf House, que infelizmente estava fechado, mas fica aqui como dica. Como a seguir fomos para o centro da movida, passámos no Flax & Kale. Este estabelecimento tem máquinas de sumos naturais que são feitos lá. Na estrada até podemos ver os empregados a fazer os sumos. É uma perdição de misturas que nem sabíamos que existia.
Como era para petiscar/lanchar qualquer coisa, ainda ponderei o açaí, mas vi tigelas gigantes a passarem e achei que eram demasiado para aquela hora e em quantidade exagerada, mesmo para quem fez 30 km a pé num dia. Uma coisa simples que gostei foi do donut versão vegan e saudável que aqui tanto estimam. Não tem gorduras hidrogenadas, só com produtos naturais e farinha de amêndoa… um doce menos mau que os tradicionais e saboroso. O pior deste restaurante/café é o movimento. Tem muita gente e é difícil arranjar mesa. Precisámos de ser pacientes, mesmo com algum serviço que tende a ser mais lento. De qualquer maneira, adorei o conceito, as vitrines cheias de fruta e sumos apetitosos.



Jantar: Abirradero

Isto pode ser saudável ou não. Fica perto da Par.a.llel e é uma cervejaria do Instituto de cerveza artezana. Cerveja e vinho são o meu calcanhar de Aquiles no que toca a refeições saudáveis, mas aqui até encontramos tapas seguras. Comi salmão aromatizado com lúpulo e pasta de abacate, uma combinação improvável e boa. Também tinha frango com pimentos pádron que só se estragaram, porque juntamos a tábua de queijos e enchido (outra perdição com cerveja).

 



Segundo dia:

Pequeno-almoço: Flax and Kale

Fomos então experimentar o estabelecimento de manhã, com mais luz e com relativamente menos gente, mas ainda assim concorrido.
Ora de manhã… de vamos arriscar no iogurte de soja de côco com granôla e frutas. E aqui adorei. Soube mesmo bem. Só a apresentação dava pena de estragar o prato. A fruta era fresca, a granôla foi das melhores que comi até hoje e mesmo o iogurte de soja era caseiro. Aqui está um bom sítio mesmo para os meus amigos vegetarianos, que alia o saudável ao apetitoso. Como tem muffins ou cookies ou donuts mais a tender para o saudáveis… ou mesmo os croissants de espelta, o Flax & Kale faz-se um bom aliado para convencer gente mais esquisita com a palavra “saudável”.

Resumindo: voltando a Barcelona vou lá a correr.

Quem resiste a isto?



Bairro gótico e muita fome levaram-nos ao outro Federal da cidade, desta vez para experimentar os ovos no forno e uma salada de inverno. Depois de uma curta espera (muito movimento) e de escolhermos, tirei as dúvidas: os ovos são mesmo bons. Comi os ovos com tomate e queijo que vêm acompanhados com duas fatias de pão que não cheguei a tocar, mas tinham bom aspecto. Porém, comi primeiro uma salada de inverno, muito boa com cevadinha, cenoura, beterraba e outros ingredientes que a tornaram apetitosa e bem servida.




Claro que havia outros locais para almoçar, outras coisas para experimentar. Para os mais gulosos fica aqui a dica da La donutería perto da Par.a.llel. Os donuts só de aspecto já chamam à atenção (só pela fotografia já chama), com combinações apetitosas desde cobertura de framboesa ou cobertura de Limão e recheio, etc. Quem provou, diz que os melhores são os sem recheio, pois são menos enjoativos. Fica ainda a dica do Green & Berry que ainda pensei em lá passar, mas não deu oportunidade.


Enfim, há uma enormidade de opções saudáveis, que por vezes também têm gulodices à mistura, mas de que é a vida se não aproveitamos tudo? O que interessa é o equilíbrio e o que nos faz sentir bem!


12 novembro 2015

Food # Cervejaria Galiza

Há dias em que temos de voltar aos velhos clássicos. Reviver memórias e ao mesmo tempo criar novas memórias.

Foi o que aconteceu à uns dias! Desloquei-me ao Galiza para provar o hambúrguer mais antigo do Porto. E que bela surpresa....

Sem dúvida alguma o hambúrguer era saboroso e bem condimentado: sabia a caril. Adorei a surpresa! Não sou fã das francesinhas deste estabelecimento, mas do hambúrguer fiquei super fã. É óptimo e não achei caro. 

O que peca neste restaurante é o seu conceito já muito industrializado e, por vezes, muito impessoal. Afinal de contas este é um dos mais antigos do Porto... e o que levou à fama, levou ao proveito.