09 junho 2010

Dador de medula

Vejo muitas pessoas darem desculpas para não o serem, talvez pelo medo das agulhas gigantes a entrarem pela coluna a dentro. O que muita gente não sabe é que o processo mais utilizado não é este: apesar de nas séries todas volta e meio aparecer.

Muito bem, o processo é o seguinte:
"Há uma colheita de células progenitoras periféricas - Colheita feita no sangue periférico, geralmente a partir de uma veia do braço, através de um processo chamado aférese, em que o dador tem de tomar previamente um medicamento que é um factor de crescimento que vai fazer aumentar a produção e circulação de células progenitoras no sangue periférico" (ver http://www.min-saude.pt/)

Óbvio que temos de corresponder aos requisitos do costume: não ter doenças imunológicas, ter mais de 50 kg...Também ninguém é obrigado, quem não quer não quer, ou não se sente à vontade, mas imaginem só se um irmão vosso, pais, tios, precisam mesmo... vocês não vão dar uma ajuda?

Aqui em casa metade não pode ser dador - porquê? - Psoríase. O que ainda o outro dia deixou a minha irmã bem chateada porque queria ser dadora e não pode. Existem várias acções, é só procurar.

Como o caso de uma campanha que recebi à pouco no meu email da UP:
"Caros Membros da Universidade do Porto,
Terá lugar já na próxima quarta-feira, dia 16 de Junho, uma Sessão de Angariação de Dadores de Medula Óssea levada a cabo pelos técnicos do Centro de Histocompatibilidade do Norte.
Para se tornar um possível dador, basta dirigir-se à sede do Orfeão Universitário do Porto (traseiras da Faculdade de Direito, sita à Rua dos Bragas) entre as 14h00 e as 18h00, trazendo o BI. (...)"

Espero ter ajudado aos interessados e a mudar o 'medo' de algumas pessoas :)

3 comentários:

TILT disse...

Vê se me lembras de lá ir prá semana xD

Criss disse...

Eu sou tua maezinha?!

Mlady disse...

Eu bem tento! Mas basta me tirarem sangue para eu cair para o lado!