01 setembro 2011

A crise!

Na revista Visão, o título da semana é "Os ricos que paguem a crise?". Pois sim... Um administrador (do público ou privado) desconta metade do seu salário todos os meses para a segurança social e no fim ainda é capaz de pagar uma elevada quantia de IRS. Quando se vão a ver totais o Américo Amorim descontou x € e o administrador 2 vezes o valor do sr. Américo.

As pessoas falam na televisão que está mau viver com o ordenado mínimo e está, mas depois quando me dizem "ah os que ganham mais que paguem, se descontam muito é porque ganham muito."... É assim, numa empresa privada é preciso muito suor e sacrifício para se ganhar muito e o ordenado fica congelado muitos anos (não há cá aumentos todos os anos), todos os casos que conheço, as pessoas, na sua maioria, nunca estão em casa, porque estão em negócios e isso custa, até porque desgasta muito. Agora viram-me dizer que os outros que paguem... acho muito bem o escalão máximo pagar mais, mas também acho que já se está a tornar absurdo. Uma pessoa a ganhar o dela e metade vai logo para o governo, depois no fim ainda pagam mais.

Os políticos já cortaram aos salários? Já vamos em 500 nomeações da carochinha, não se sabe bem para quê! Os ricos pagam a crise? Eles vivem de rendimentos muito deles, não têm um salário, não me venham dizer que esta nova taxa de 50.5% no escalão máximo é para os ricos, porque é para a classe média-alta (que por este andar vai descer, descer, até deixar de existir).
Eles fazem do povo o que querem... isto da democracia é muito verdade quando se vota, depois eles fazem o que querem de nós. E nós? Vemos o barco a passar por cima das nossas despesas, porque neste país gente séria é a primeira a sofrer!

p.s.: Não pensem que estou do lado de qualquer escalão, acho é que o povo é que leva sempre e depois deixa-se ficar. Enquanto os políticos não tiverem medo que o povo se passe, vamos continuar nisto.

1 comentário:

joana disse...

Eu entendo o que queres dizer. O meu pai vai pertencer ao escalão dos que têm que pagar mais, dos que vão receber quase nada do IRS, porque vai ser aumentado por mérito. Fazendo as contas mais valia nem o ser. Ficava a ganhar financeiramente no final do mês. Conclusão: trabalha mais e não tem frutos. E quando ouço pessoas a falar assim há toa como se quem ganhasse mais fosse um infractor e a culpa da crise é deles, custa-me. Custa porque há muito boa gente que se esforçou por estudar (apesar de vir de famílias pobres!) e depois... enfim. Acho justo que assim seja até. Não se pode tirar a quem já nada têm. No entanto, acho que vai ser abusivo e há muito por onde cortar a despesa (como na segurança social onde há muitos "chupistas" que não fazem nada da vida e que fazem com que pessoas como eu deixem de acreditar num sistema).